Artigos Café Brasil
Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

670 – A nova Previdência
670 – A nova Previdência
No dia 12 de Junho fomos à Brasília e, no Ministério da ...

Ver mais

669 – Fora da Caixa 2
669 – Fora da Caixa 2
Você não precisa inventar a lâmpada para ser original. ...

Ver mais

668 – Fora da caixa
668 – Fora da caixa
Não é fácil hoje em dia ter uma ideia original, ...

Ver mais

667 – Ajuda, por favor
667 – Ajuda, por favor
Toda mudança implica em incomodação. Se não incomoda, ...

Ver mais

LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
Marcel Van Hattem é um jovem Deputado Federal pelo ...

Ver mais

LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
Aproveitando que o Everest está sendo discutido na ...

Ver mais

LíderCast Temporada 12
LíderCast Temporada 12
Vem aí a Temporada 12 do LíderCast, que será lançada na ...

Ver mais

LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
Servidor público de carreira, que a partir das ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – AMBIGUIDADE DA LINGUAGEM (parte 10)
Alexandre Gomes
Já que uma PALAVRA é um SÍMBOLO, um SIGNO ARBITRÁRIO ao qual é imposto um significado por convenção, é natural que esteja sujeita (a palavra) à AMBIGUIDADE. E isso pode surgir de alguns pontos: ...

Ver mais

O salário do professor brasileiro é um dos mais baixos do mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Matéria de ontem no jornal O Globo nos lembra um fato que é amplamente reconhecido: os professores brasileiros estão entre os que recebem os menores salários no mundo inteiro. Em relação aos ...

Ver mais

As cigarras, as formigas e o tal do viés ideológico
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA.

Ver mais

Komsomol brasileiro
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Um dos métodos mais eficazes para garantir a lavagem cerebral nos jovens de tenra idade (muitas vezes órfãos, vítimas da guerra ou dos pavorosos assassinatos em massa ordenados por Stalin) na ...

Ver mais

Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
É seu coeficiente de trouxidão, com a suspensão ...

Ver mais

Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Meu tempo de vida está sendo enriquecido ou só desperdiçado?

Ver mais

Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Na definição dos dicionários, disciplina é o conjunto ...

Ver mais

Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Dê uma olhada nas pautas em discussão nas mídias. Veja ...

Ver mais

Chave de fendas

Chave de fendas

Luciano Pires -

E Renan Calheiros está de volta, seis anos depois, ao cargo do qual renunciou para não ser cassado. Mas que sujeito ambicioso, não? Não. Renan é ganancioso.

Ao fazer o discurso de posse como presidente do Senado, Renan disse que “A ética não é um fim em si mesmo, vossas excelências sabem disso. A ética é meio, não é fim.” Ouvi o discurso, sentindo uma ponta de vergonha alheia, justamente quando gravava o podcast Café Brasil 336 – Ganância e Ambição. E foi impossível não fazer um paralelo. Vamos lá.

Sou um sujeito ambicioso. Sempre fui. Sempre mirei mais acima, mais à frente, mais fundo, mais alto, mais longe do que eu poderia alcançar. E por isso, além de quebrar a cara muitas vezes, consegui atingir certos objetivos que muita gente parecida comigo nunca conseguiu. No processo, levei junto um monte de gente: minha família, amigos, colegas de trabalho, clientes, fornecedores e até leitores e ouvintes.

Na minha ambição cabe todo mundo.

Ser ambicioso é fundamental, e ter ao lado gente ambiciosa também. Uma mulher ambiciosa, por exemplo, motiva o marido a sair da inércia, e vice-versa. Quem tem ambição quer crescer, evoluir, progredir. Quem não tem, “deixa a vida te levar, vida leva eu…”. A ambição equilibrada é positiva, é boa. Ambição desequilibrada se transforma em ganância.

Nos dicionários, a diferença entre ambição e ganância não é tão clara, mas para mim é: o que difere a ganância da ambição são os limites de cada uma e os princípios morais: o como fazer. Vejamos as definições que elaborei, quem sabe você concorda com elas.

A ambição é o desejo intenso de alcançar determinado objetivo, aplicando-se os princípios éticos vigentes. O indivíduo ambicioso contempla em seus planos outras pessoas, age com honestidade e generosidade e respeita todos que estão à sua volta. E “todos”não são apenas amigos, parentes ou os outros elementos do bando.

Já a ganância é o desejo intenso de alcançar determinado objetivo, seja pelo meio que for. Os fins justificam os meios, lembra disso? O indivíduo ganancioso só se importa consigo mesmo, não contempla mais ninguém em seus planos e faz qualquer coisa para atingir seus objetivos, doa a quem doer.

Então vamos lá: tenho a ambição de governar este país, e o faço seguindo princípios éticos, conforme meus valores morais, até trombar na tal “governabilidade”. Quando estou pensando em como fazer para vencer esses obstáculos, ouço que “a ética é meio, não é fim”, e adoto a moral dos gananciosos: sujo as mãos, faço conchavos, me alio a notórios bandidos e, quem sabe, compro uns votos para conseguir aprovar as medidas que eu afirmo que serão boas para o povo. E assim atinjo o fim desejado.

A eleição de Renan Calheiros deixa claro que, para nossos congressistas, ética é apenas uma ferramenta, como uma chave que eles usam para abrir fendas. Ou para matar você.

“Tudo bem, se me convém.” Continuo propondo essa frase em substituição ao “Ordem e Progresso”.

Luciano Pires