Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
O problema do agrotóxico no Brasil não é dos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Como Vai, Como Vai. Como Vai?

Como Vai, Como Vai. Como Vai?

Luciano Pires -



COMO VAI, COMO VAI, COMO VAI?


Ilustração de ELDES – www.eldes.com



Waldemar Seyssel, o Arrelia, faleceu esta semana no Rio de Janeiro, aos 99 anos. Qualquer adulto, na faixa dos 40, que ainda mantenha dentro de si uma criança há de se lembrar com carinho do palhaço Arrelia. Houve um tempo em que o Circo do Arrelia era o programa obrigatório para as crianças na tv. Era uma época em que não existia controle remoto e as pessoas assistiam tv comentando, saboreando e compartilhando em grupo uma atividade que hoje realizamos praticamente a sós.



Arrelia não gostava que seus companheiros usassem maquiagem carregada nem roupas muito espalhafatosas. Ele acreditava que as crianças pequenas teriam medo do exagero. Um palhaço que respeitava seu público.



Arrelia era um cartunista. Exprimia valores morais sob a forma de pequenos quadros de humor, piadas ingênuas e uma presença em cena que era hipnótica. Seu abraço, sempre levantando um dos pés… o cumprimento que virou bordão num tempo em que os publicitários não haviam se apoderado dos bordões para vender produtos, entrou para a história: “Como vai, como vai, como vai? Como vai, como vai, vai, vai? Muito bem, muito bem, muito bem. Muito bem, muito bem, bem, bem…”.



Assisti uma apresentação de Arrelia na Associação Luso Brasileira de Bauru, acho que no comecinho dos anos 70 ou final dos 60. Eu tinha lá meus 12 anos e ele já tinha mais de 60. O que me chamou a atenção foi que eu vi, debaixo daquela maquiagem, um velhinho. Dava para perceber as rugas e isso me incomodou. Pela primeira vez passou pela minha cabeça que talvez aquela figura mágica não fosse eterna. O meu palhaço Arrelia estava envelhecendo. E isso me dava uma dimensão diferente da vida. Se meu herói ficava velho… Talvez tudo ficasse também.



Pois desconfio que Arrelia sabia do impacto de seu envelhecimento sobre seus pequenos fãs. Tanto que esperou até que todos se tornassem adultos para então morrer, aos 99 anos.



Salvo os parentes, sua morte não causará lágrimas em criança alguma.



Mais ou menos… Eu não sei quanto a você, mas eu, de adulto, só tenho a casca. Sentadinho lá na sala de comando, esperando a chance pra sair, continua o Lucianinho que, na ilimitada sabedoria de seus eternos 12 anos, ao ser perguntado “Como vai, como vai, como vai?”, só tem uma resposta: “Muito bem, muito bem, muito bem. Muito bem, muito bem, bem, bem”.



O Lucianinho sente falta do Arrelia. Não entende a pressão do mundo para que responda “Mais ou menos… muito mal… não interessa… pra que você quer saber?…”.



Nem entende o Brasil aonde o palhaço mais famoso vem do estrangeiro, chama-se Ronald McDonald´s e tem como função, em vez de fazer rir, vender hambúrguer.



Por sorte, no lugar onde o Lucianinho vive, tem um espaço pro Arrelia.



Um espaço onde seus heróis nunca envelhecem.