Artigos Café Brasil
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

666 – O diabo é o pai do rock
666 – O diabo é o pai do rock
Existem dezenas de explicações para o 666 ser chamado ...

Ver mais

665 – O Vale
665 – O Vale
A trilha para o sucesso envolve trabalho duro e ...

Ver mais

664 – Sobre lagartas e borboletas
664 – Sobre lagartas e borboletas
Cara, como mudar é difícil... perder peso...manter ...

Ver mais

663 – A crisálida
663 – A crisálida
A maturidade entende que existe a escuridão no mundo, ...

Ver mais

LíderCast 154 – Diógenes e Michelle Cezila
LíderCast 154 – Diógenes e Michelle Cezila
Empreendedores brasileiros, que se mudam para os ...

Ver mais

LíderCast 153 – Rafael Bernardes
LíderCast 153 – Rafael Bernardes
Empreendedor em TI, que capacita outros profissionais ...

Ver mais

LíderCast 152 – Lucia Moyses
LíderCast 152 – Lucia Moyses
Escritora, psicóloga e neuropsicóloga, um papo sobre ...

Ver mais

LíderCast 151 – Irineu Toledo
LíderCast 151 – Irineu Toledo
Radialista, uma das vozes mais marcantes e conhecidas ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Bolsonaro errou, mas nem tanto
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Bolsonaro fala demais, e sem freios. Não faz a necessária reflexão prévia. Ele precisa lembrar, urgentemente, que não é mais deputado nem está no balcão do boteco. O cargo que ocupa merece todo o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – DIMENSÕES LÓGICA E PSICOLÓGICA DA LINGUAGEM (parte 8)
Alexandre Gomes
  Eu prometo que esse segundo capítulo vai acabar! Acho que terá umas 12 partes… Mas vamos lá! De volta à diversão. É claro que a linguagem tem aspectos LÓGICOS e PSICOLÓGICOS, veja ...

Ver mais

O Brasil da TV Globo, do Whatsapp e as manifestações do dia 26/05
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157340715398631 LINKS DAS OUTRAS LIVES: ...

Ver mais

Eu não acredito na democracia moderna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Eu não acredito na democracia representativa moderna. * * * Concordo com Schumpeter: no modelo de democracia do século XX, os indivíduos comuns são simplesmente consumidores de produtos políticos ...

Ver mais

Cafezinho 179 – Correndo riscos
Cafezinho 179 – Correndo riscos
Somos capazes de milagres quando parece que nada mais ...

Ver mais

Cafezinho 178 – O Exorcista
Cafezinho 178 – O Exorcista
O Brasil está sofrendo um imenso exorcismo, e o demônio ...

Ver mais

Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
A negatividade tem suas raízes no medo de ser ...

Ver mais

Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Gostou? Compartilhe! Só assim, fazendo a nossa parte, ...

Ver mais

Gosto ruim

Gosto ruim

Luciano Pires -

Bum! Minha esposa bate o carro na traseira de um táxi. Nada muito importante, mas suficiente para impedir que seu porta-malas abra. Na confusão do trânsito ela troca informações com o motorista e pede que ele me ligue. Uma hora depois recebo a ligação do Luiz, identificando-se como o “taxista que levou uma batida da sua esposa”. Começou pedindo desculpas pela “incomodação”. Pedi que orçasse o estrago para ver se valia a pena usar o seguro e ele quase implorou para que eu não acionasse a seguradora. Se ela entrasse no jogo ele estaria frito, pois demoraria para pagar, pagaria quase nada por seus dias parados, etc. Ele fora muito educado com minha esposa no momento do acidente e estava sendo delicado comigo ao telefone, parecia ser boa pessoa. E tomou a iniciativa: “olha já orcei por aqui, vai ficar em x o conserto. Mas tenho certeza que se levar na oficina perto de minha casa consigo pela metade do preço.” Entendi o drama dele e pensei em depositar o dinheiro na sua conta, como fiz tempos atrás numa situação semelhante. Mas hoje em dia não dá para confiar em mais ninguém, não é? E se fosse uma armação? E se ele depois viesse querendo mais, indenizações, isso e aquilo?

Falei com minha advogada, que mandou um modelo de recibo que teoricamente me isentaria de problemas futuros. Imprimi e combinei de me encontrar com o taxista num local público. Afinal, hoje em dia não dá para confiar em mais ninguém…

Pronto. Chego lá e conheço o Luiz. Muito educado, se desculpando pela dor de cabeça, pela “incomodação”. Paguei o valor combinado, ele assinou o recibo e nos despedimos. E eu saí com um gosto ruim na boca. O gosto da desconfiança.

Eu podia ter resolvido o problema na primeira conversa, bastaria ter transferido o dinheiro para sua conta e pronto! Mas hoje em dia não dá para confiar em mais ninguém, não é mesmo?

Pois é. No mesmo dia em que tudo aconteceu, recebi um email de uma ouvinte de meus podcasts, a Luciane: “Sinto falta da cordialidade e respeito dos dias da minha infância. Não sei, não fui criada assim! O bem era algo quase palpável, se esperava que todos fossem bons. Lógico que o ser humano não é de todo bom, mas era o que se cobrava de cada um para viver em comunidade. Meu pai passeava comigo pelas ruas de mãos dadas a apontar: ‘tá vendo aquele senhor? É meu amigo, gente boa!’ ‘tá vendo aquela senhora? É fulana, foi muito amiga da sua vó’. E era um desenrolar de histórias de amizade e ajuda. Cresci e me deparo com um mundo que eu não quero compartilhar com minha filha. Já não posso apontar e dizer que as pessoas ‘são boas’.”

Lembrei do Luis indo embora, comprar a peça para consertar seu táxi. E me senti culpado por desconfiar dele. Mas sabe como é… Hoje em dia não dá pra confiar em mais ninguém.

Putz. Que gosto ruim na boca.

Luciano Pires