Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

675 – Homem na lua
675 – Homem na lua
Em 20 de Julho de 1969 uma nave feita pelo homem pousou ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

LíderCast 162 – Aldo Pini
LíderCast 162 – Aldo Pini
Ex-diretor de planejamento da agência África, que ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2019
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2019 Memoráveis citações “O Brasil é um país onde você passa quinze dias fora e muda tudo, mas passa quinze anos fora e não muda nada.” Cássio Casseb  “Quando alguém tem ...

Ver mais

O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina?
Carlos Nepomuceno
O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina? Live completa.

Ver mais

Ni nóis não
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A história todo mundo conhece, pelo menos no enredo do samba: Criminosos de extenso currículo (estelionatários, ladrões, traficantes) foram contratados para espionar telefones privados de ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

Cafezinho 200 – Food For Fish
Cafezinho 200 – Food For Fish
"Food for fish"- Comida Pra peixe - é uma expressão que ...

Ver mais

Jabuticaba Elétrica

Jabuticaba Elétrica

Luciano Pires -

Jabuticabas só existem no Brasil, mas não são só as jabuticabas que só existem no Brasil… Passei o Natal e ano novo numa chácara e para animar as festas montei uma traquitana com caixa de som, DVD , Ipod e outras coisas. O trambolho tinha quatro cabos de força. Para poder ligar tudo era necessário uma régua elétrica ou… um benjamim! Sabe? Aquela pecinha (também chamada de “tê”) que permite que você ligue mais de um cabo de força à tomada? E que chama benjamim por causa do Franklin? Ta bem, sei que tem que tomar cuidado, que não é recomendado, etc. Deixa eu terminar minha história?

Pois o trouxa aqui sai pela cidade à procura do benjamim, como fiz a vida inteira. Só para descobrir que benjamins não existem mais.

Desde o começo de 2009 o Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro), baixou uma norma padronizando os plugues e tomadas elétricas e adotando um sistema de pinos que só existe num lugar no mundo: aqui. Uma jabuticaba.

Pausa. Entra em ação o PLPUP – Programa Luciano Pires de Utilidade Pública, tentando explicar, em caipirês, o que se passa. Fiz eletrônica no colégio, mas não entendo nada do assunto. Só pesquisei. Ó:

As concessionárias fornecem energia para nossas casas por meio de dois fios: o neutro e o fase. É pelo fase que a tensão elétrica é transmitida. O neutro não tem tensão, é neutro. A rede elétrica de nossas casas é toda interligada e os vários aparelhos nela plugados estão, portanto, interconectados, o que causa algumas variações elétricas. Por exemplo, os computadores – que contêm vários componentes eletrônicos em seu interior – costumam ter uma certa “fuga” de energia, que se aloja em suas extremidades metálicas. É a tal carga eletrostática. Você já deve ter tomado alguns choques bem leves ao colocar a mão no computador, não é? Pois bem, essas pequenas “fugas” de energia costumam transmitir alguma “sujeira elétrica” por aquele fio neutro que deveria ter tensão zero, o que pode provocar problemas em equipamentos delicados. Por isso existe o “fio terra”, um terceiro fio (geralmente verde) que está conectado a uma estaca de cobre fincada na terra. Ele elimina toda “sujeira” elétrica dos componentes, descarregando a tal energia eletrostática para a terra.

Vários equipamentos têm plugs com três pinos, normalmente dois chatos e um redondo, que é o terra. Mas como o Brasil não tinha o aterramento como norma, nossas tomadas não têm onde encaixar o pino terra. Muita gente quebra-o ou coloca um adaptador, deixando-o livre. Assim podemos ligar os equipamentos de três pinos às nossas tomadas-padrão de dois furos. Mais uma das gambiarras brasileiras.

Então o Conmetro adota um padrão brasileiro, bem criativo. Resultado: os aparelhos com três pinos não mais se conectarão nas tomadas. Os aparelhos importados com dois pinos chatos no padrão americano, também não. E os benjamins ficam proibidos. E os adaptadores não existem ou são complexos e caros. A saída?  Trocar as tomadas de casa. E os plugs dos aparelhos!  



Vamos lá então… Digamos que não exista algum interesse comercial por trás dessa mudança e que ela foi implementada por exclusivo foco no bem estar dos brasileiros. Quanto tempo vai levar para surgir uma indústria de adaptadores-pirata vendidos nos camelôs? Fabricados de qualquer jeito aqui, no Paraguai ou na China? Neutralizando qualquer boa intenção técnica do Conmetro?

Como sempre, nosso problema não é o que fazer. É como fazer. Num mundo que caminha para a simplificação, o Brasil, que não aprende com o passado (lembra do Pal-M?) insiste nas jabuticabas.

Adivinha quem paga a conta?

Claro que não é o Benjamin. É o Mané aqui. E aí…