Artigos Café Brasil
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

665 – O Vale
665 – O Vale
A trilha para o sucesso envolve trabalho duro e ...

Ver mais

664 – Sobre lagartas e borboletas
664 – Sobre lagartas e borboletas
Cara, como mudar é difícil... perder peso...manter ...

Ver mais

663 – A crisálida
663 – A crisálida
A maturidade entende que existe a escuridão no mundo, ...

Ver mais

662 – A importância da cultura
662 – A importância da cultura
Qual a importância da cultura? Que baita pergunta do ...

Ver mais

LíderCast 153 – Rafael Bernardes
LíderCast 153 – Rafael Bernardes
Empreendedor em TI, que capacita outros profissionais ...

Ver mais

LíderCast 152 – Lucia Moyses
LíderCast 152 – Lucia Moyses
Escritora, psicóloga e neuropsicóloga, um papo sobre ...

Ver mais

LíderCast 151 – Irineu Toledo
LíderCast 151 – Irineu Toledo
Radialista, uma das vozes mais marcantes e conhecidas ...

Ver mais

LíderCast 150 – Ana Letícia Maciel
LíderCast 150 – Ana Letícia Maciel
Executiva que larga tudo para empreender com um ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Eu não acredito na democracia moderna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Eu não acredito na democracia representativa moderna. * * * Concordo com Schumpeter: no modelo de democracia do século XX, os indivíduos comuns são simplesmente consumidores de produtos políticos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro tende a ser considerado melhor presidente do país até 2022?
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157323556458631

Ver mais

Em defesa do Olavo de Carvalho
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Amigos, as revistas Veja e Isto É decidiram atacar o escritor Olavo de Carvalho nas matérias centrais das suas edições da semana. A que se deve esse ataque, orquestrado pelas duas maiores ...

Ver mais

O like é a droga do século
Henrique Szklo
O sistema em que vivemos foi criado com o objetivo claro de deixar-nos ansiosos e estressados para que utilizemos o consumo como forma de aplacar nossa desventura crônica. Mas surpreendentemente ...

Ver mais

Cafezinho 178 – O Exorcista
Cafezinho 178 – O Exorcista
O Brasil está sofrendo um imenso exorcismo, e o demônio ...

Ver mais

Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
A negatividade tem suas raízes no medo de ser ...

Ver mais

Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Gostou? Compartilhe! Só assim, fazendo a nossa parte, ...

Ver mais

Cafezinho 175 – Não use sua ignorância
Cafezinho 175 – Não use sua ignorância
Quando você não conhece o objeto de sua análise, será ...

Ver mais

Memórias Mortas

Memórias Mortas

Luciano Pires -


MEMÓRIAS MORTAS


Estive em minha terra natal, Bauru, nos últimos dias e fui surpreendido com o falecimento de um grande amigo da família, o Rubinho Figueiredo. Que pena! O Rubinho era uma daquelas pessoas do bem, sabe como é? Que quase não existem mais? Pois é… Meu amigo Rubinho se foi.
No caminho para o velório, ao passar pela esquina da Avenida Duque de Caxias com a Azarias Leite, olhei para a árvore que me cumprimentava havia cinqüenta anos. Não sei de que espécie era, mas sei que, quando garoto, nela subi e com ela brinquei, estabelecendo uma espécie de amizade silenciosa. Mas desta vez a árvore não estava mais lá. Foi derrubada. Apenas um toco restava no lugar da minha amiga. Fiquei olhando, entristecido. Acho que a árvore estava atrapalhando os fios de eletricidade e alguém mandou cortar. Uma árvore que devia ter uns 80 anos caiu pela decisão de um burroc… ops, burocrata… Pois é. Minha amiga árvore se foi.
E então meu pai me contou, entristecido, que foi até o campo do Bauru Atlético Clube, o BAC, o lugar onde Pelé surgiu para o futebol. Um monumento do esporte nacional. O campo do BAC foi vendido para uma rede de supermercados e está rodeado de tapumes. Meu pai espiou por um buraco e viu que demoliram as arquibancadas. No lugar do campo, vai surgir um supermercado… Pois é… Foi-se a memória de Pelé em Bauru.
E então, o pior. Minha sogra, Dona Thereza, com a saúde debilitada, é internada às pressas, para falecer na madrugada do dia seguinte. O dia em que eu completava 25 anos de casamento com a filha dela. Coube a mim pegar seus netos, meus dois filhos e dois sobrinhos, e levá-los para o enterro da avó em Bauru. Pois é. Minha sogra, a avó dos meus filhos, se foi…
Em sete dias em Bauru, o Rubinho, a árvore, o BAC, Dona Thereza… Minhas referências vão aos poucos se apagando, deixando a realidade para se transformar em memórias. Algumas pelo caminho natural da vida. Outras pelas decisões dos burroc… ops, burocratas.
As referências que se apagam pelo caminho natural da vida deixam saudades, tristeza e angústia. Mas exigem que nos conformemos, pois seguem um ritmo irreversível. Qualquer coisa viva que amamos, seja uma pessoa, um gato ou uma planta, um dia morrerá. E nada podemos fazer. Mas as referências que se apagam pela decisão dos homens, deixam a sensação de que não fizemos nossa parte. Não protegemos aquela árvore. Não protegemos o BAC. Deixamos que gente sem compromisso com a memória decidisse dar fim às referências importantes da nossa vida. Que pena. 
Imagino que Rubinho e Dona Thereza, estejam onde estiverem, estão bem. Mas não me conformo que os burroc… ops, burocratas que destroem nossas memórias, estejam também.