Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

675 – Homem na lua
675 – Homem na lua
Em 20 de Julho de 1969 uma nave feita pelo homem pousou ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

LíderCast 162 – Aldo Pini
LíderCast 162 – Aldo Pini
Ex-diretor de planejamento da agência África, que ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2019
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2019 Memoráveis citações “O Brasil é um país onde você passa quinze dias fora e muda tudo, mas passa quinze anos fora e não muda nada.” Cássio Casseb  “Quando alguém tem ...

Ver mais

O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina?
Carlos Nepomuceno
O que podemos aprender com a tragédia que virá da Argentina? Live completa.

Ver mais

Ni nóis não
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A história todo mundo conhece, pelo menos no enredo do samba: Criminosos de extenso currículo (estelionatários, ladrões, traficantes) foram contratados para espionar telefones privados de ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Cafezinho 201 – Agrotóxicos – melhor seria não usar
Agrotóxicos são a bola da vez. Da forma como é ...

Ver mais

Cafezinho 200 – Food For Fish
Cafezinho 200 – Food For Fish
"Food for fish"- Comida Pra peixe - é uma expressão que ...

Ver mais

Meus respeitos

Meus respeitos

Luciano Pires -

Fiz um post comentando a morte de D. Paulo Evaristo Arns no Facebook e o bicho pegou. Dezenas de comentários criticando o comunista que simpatizava com Fidel Castro e ajudou na marcha do Brasil para a esquerda, até dar nisso que aí está.

Sim, D. Paulo tinha uma posição de esquerda. Como tiveram Ferreira Gullar, Antonio Abujamra, Ariano Suassuna, Rubem Alves, só para ficar nos que faleceram recentemente. E nem por isso podemos negar a importância de cada um deles para o Brasil.

É preciso tomar cuidado ao analisar o passado com as lentes do presente. Havia um contexto no final dos anos 60 e durante os 70. D. Paulo estava no olho do furacão e teve uma presença importante na sociedade brasileira, como tiveram centenas de outros esquerdistas já falecidos. O conheci pessoalmente em Brasília, foi muito atencioso e educado, e sempre me pareceu que, com a idade, foi se afastando da militância política. Faltou, como fizeram Ferreira Gullar e Fernando Gabeira, uma autocrítica.

Mas ao longo dos anos 1970 e 1980 não sei se seria possível, na posição que ele ocupava, agir diferente. O regime militar empurrou muita gente para a esquerda, e isso não transforma essa gente em demônios. Reduzir a passagem de D. Paulo pela terra à simpatia com Fidel Castro e movimentos sociais, à teologia da libertação, à ajuda na criação do PT e de Lula, sem considerar o contexto em que isso aconteceu é, no mínimo, míope.

D. Paulo foi mais que um comunista de batina, assim como Mario Lago foi mais que um comunista ator, Jorge Amado foi mais que um comunista escritor, Oscar Niemeyer foi mais que um comunista arquiteto… entre tantos outros.

Então, na Confraria Café Brasil, um dos participantes comenta meu post:

“ Luciano, eu não me sinto capaz de opinar sobre ele pois nem sequer o conhecia, mas lendo isso que você escreveu agora fiquei com a seguinte dúvida: não é sobre isso que trata o marxismo cultural? Quero dizer, ocupar diferentes espaços com comunistas/marxistas e que seja natural que esses sejam mais do que comunistas, ou seja, pessoas influentes por terem atuações inegavelmente diferenciadas em suas áreas? Se fossem comunistas mas fossem uns merdas, eles teriam influência de forma a atender a uma agenda marxista? Não estou afirmando nada, é apenas um pensamento que passou pela minha cabeça para apimentar o debate. Para mim não interfere a ideologia do cara pois o Café Brasil me ensinou a arte de comer picanha rs.”

Minha resposta:

“Claro que é assim. Eles ocupam áreas estratégicas, mas meu ponto é outro. O Brasil seria melhor sem D. Paulo? Sem Chico Buarque? Sem Betinho e Henfil? Sem Oscar Niemeyer? Sem Ariano Suassuna? Como só é possível responder essa pergunta com a conjunção subordinativa condicional ‘ se’, que nos mantém no reino das suposições, prefiro ficar com o benefício da dúvida: cada um desses cumpriu um papel importante na história do meu país e da minha vida. Chico, Darcy Ribeiro, Lima Barreto, Veríssimo e tantos outros… até Marilena Chauí, estão no lado oposto do meu no espectro político, mas há um pedacinho de cada um deles no que sou. Consigo ver em cada um coisas boas e coisas ruins. Sem justificar ou perdoar suas escolhas, na hora da morte, em vez de dizer “ainda bem que se foi”, eu digo “respeito mais um que se foi”. Eu não diria isso de psicopatas como Fidel Castro e Adolf Hitler, por exemplo, mas digo com tranquilidade sobre os que de alguma forma ajudaram a moldar quem sou.”

E se há algo que não sou, é comunista…

Portanto, meus respeitos D. Paulo Evaristo Arns. O senhor jogou do outro lado do gramado, mas ajudou a fazer de mim um jogador melhor.