Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

682 – LíderCast 13
682 – LíderCast 13
É isso que é o LíderCast. Uma homenagem a quem ...

Ver mais

681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
Agrotóxicos surgiram na Segunda Guerra Mundial, para ...

Ver mais

680 – Nova Previdência 2
680 – Nova Previdência 2
A Nova previdência é o primeiro passo para colocar o ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
Marilia Guimarães e Eduardo Dantas – a dupla ...

Ver mais

LíderCast 168 – Pedro Hipólito
LíderCast 168 – Pedro Hipólito
CEO da Five Thousand Miles, empresa portuguesa que se ...

Ver mais

LíderCast 167 – João Kepler
LíderCast 167 – João Kepler
Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro exagera?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Como se já não enfrentássemos todos os problemas possíveis – e mais uns imaginados – Bolsonaro parece se esforçar para piorar os reais e parir os imaginários. Por qual razão o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – CARACTERÍSTICAS GRAMATICAIS DOS SUBSTANTIVOS (parte 3)
Alexandre Gomes
Até agora mostrei maneiras um pouco diferentes de se ver um SUBSTANTIVO. Usando um tanto de Lógica e  Filosofia para explicar SUBSTANTIVOS e ADJETIVOS. E só para te lembrar: toda a Realidade é ...

Ver mais

Viva Narciso
Jota Fagner
Origens do Brasil
A nossa vaidade nos impede de construir um ambiente mais tolerável A palavra “insentão”, popularizada nos últimos anos, serve para classificar a pessoa que não se deixa iludir pelo canto da ...

Ver mais

O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento  “A leitura é a chave para se ter um universo de ideias e uma tempestade de palavras.” Eduarda Taynara Gonçalves Pereira  (ex-aluna da EEEP ...

Ver mais

Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Basta uma olhada nos jornais televisivos diários para ...

Ver mais

Cafezinho 210 – Gosto médio
Cafezinho 210 – Gosto médio
Vida em sociedade implica no exercício diário da ...

Ver mais

Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Quem mostra a você o ato, conclui a intenção e sonega a ...

Ver mais

Cafezinho 208 – O Mas
Cafezinho 208 – O Mas
Preste atenção em quem usa o “mas” como desculpa ou ...

Ver mais

O complexo de vira latas II

O complexo de vira latas II

Luciano Pires -

O Brasil está esquizofrênico. É Dr. Jekyll e Mr. Hyde ao mesmo tempo. Mas pressinto que surge por aí um novo brasileiro, distante daquela imagem do bonachão, o macunaíma preguiçoso, indolente e “nem aí”. Vem aí um novo brasileiro, e com ele, um novo eleitor.

Então, para aproveitar o ano de Copa do Mundo e eleições, resolvi fazer um exercício arriscado, adaptar para esse novo eleitor um trecho do texto “Complexo de Vira Latas” que Nelson Rodrigues escreveu pouco antes da Copa de 1958. Olha como ficou:

“Mas vejamos: — o eleitor brasileiro tem, realmente, possibilidades concretas? Eu poderia responder, simplesmente, ‘não’. Mas eis a verdade:

— eu acredito no novo eleitor brasileiro, e pior do que isso: — sou de um patriotismo inatual e agressivo, digno de um granadeiro bigodudo. Tenho visto eleitores de outros países, inclusive os ex-fabulosos norte americanos, que apanharam, em eleições nebulosas para presidente. Pois bem: — não vi ninguém que se comparasse aos nossos velhos eleitores. Fala-se numa Merkel. Eu contra-argumento com uma Dilma, um Lula, um FHC, Itamar, um Collor, um  Sarney…

A pura, a santa verdade é a seguinte: — qualquer novo eleitor brasileiro, que se desamarrar de suas inibições e se puser em estado de graça, será algo de único em matéria de fantasia, de improvisação, de invenção. Em suma:

— temos dons em excesso. E só uma coisa nos atrapalha e, por vezes, invalida as nossas qualidades. Quero aludir ao que eu poderia chamar de ‘complexo de vira-latas’. Estou a imaginar o espanto do leitor: — ‘O que vem a ser isso?’ Eu explico.

Por ‘complexo de vira-latas’ entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. Isto em todos os setores e, sobretudo, na política. Dizer que nós nos julgamos ‘os maiores’ é uma cínica inverdade. Em Brasília, por que perdemos? Por que, diante do quadro político, velho e sarneyzento, o eleitor brasileiro ganiu de humildade. Jamais foi tão evidente e, eu diria mesmo, espetacular o nosso vira-latismo. Nas últimas eleições, alguns candidatos nos convenceram que eram superiores aos adversários. E com isso levaram a vantagem no embate. Pois bem: — perdemos da maneira mais abjeta. Por um motivo muito simples: — porque os políticos nos trataram a pontapés, como se vira-latas fôssemos.

Eu vos digo: — o problema do eleitor não é mais de política, nem de técnica, nem de tática. Absolutamente. É um problema de fé em si mesmo.

O novo eleitor brasileiro precisa se convencer de que não é um vira-latas e que tem culhões para dar e vender, lá na eleição. Uma vez que ele se convença disso, ponham-no para correr com os políticos e ele precisará de dez para segurar, como o chinês da anedota.

Insisto: — para o novo eleitor brasileiro, ser ou não ser vira-latas, eis a questão.”

Funcionou?

Luciano Pires