Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
O problema do agrotóxico no Brasil não é dos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

O Plano

O Plano

Luciano Pires -


O PLANO


Li o documento oficial que o governo publicou sobre um plano para alavancar o crescimento do Brasil. Gostei muito de um trecho:
 
“Nada mais equivocado do que pensar que […] para promover o desenvolvimento teríamos de aumentar o déficit fiscal. Não o estamos aumentando, porque mobilizamos recursos da sociedade. […] que o controle da inflação e a execução de projetos seriam feitos em detrimento do social, quando, na verdade, está ocorrendo o oposto. Isso é visível, por exemplo, na área de saúde. Basta olhar os índices de queda da mortalidade infantil. Na área de educação, estamos nos preparando para tirar todas as crianças da rua e para lhes garantir acesso às escolas. Enfim, estamos redesenhando o País.
[…]Enfrentar os problemas estruturais e sociais do País com ações gerenciadas, em parceria com a iniciativa privada e com garantia efetiva de investimento. Esse é o princípio básico do Programa…”.

Propostas que causam impacto nas áreas da saúde, habitação, saneamento, emprego, água, turismo, agricultura, educação, comunicações, transportes e energia! Tudo que queríamos ouvir! E – detalhe – assisti junto com um pequeno grupo a apresentação do plano em alto estilo, pelo Vice Presidente da República, em seu gabinete! Eu estava em Brasília coordenando o lançamento de um projeto cultural da empresa em que trabalho – a Dana. Aproveitei a presença no Brasil de dirigentes da empresa e organizei as agendas combinando a inauguração do evento com uma visita de cortesia ao Vice Presidente da República. Ao final da reunião, ele nos levou para um canto onde havia um mapa do Brasil, cheio de indicações relacionadas ao tal plano. E foi nos explicando, entusiasmado, cada um dos projetos para reduzir custos na economia, propiciar o aumento da competitividade do setor produtivo e melhorar a qualidade de vida da população. Bem impressionados, concluímos que, se executado, o plano proporcionaria um salto imenso em direção ao futuro. Parabenizamos o Vice Presidente. Embora a oposição sustentasse que tudo não passava de jogada eleitoreira para a reeleição, era a primeira vez que eu via uma proposta tão ambiciosa, envolvendo vários ministérios, o núcleo do governo e a iniciativa privada. E havia uma sincera vontade de fazer acontecer. Saí de lá contente, esperançoso.
– Agora o Brasil vai!
Mas também saí com uma preocupação: temos capacidade para pôr em prática? Nada acontece, como magia, só porque o Presidente diz que vai acontecer, a imprensa publica e todo mundo fica na expectativa. Planejamento, reuniões e relatórios não podem ser confundidos com ação. E não me refiro a dinheiro, mas à capacidade de execução. Não existe milagre. Sem acompanhamento para assegurar que o que é dito é feito, e sem a eliminação dos que remam contra, por interesses e ignorância, tudo se transforma num caldo de conchavos políticos. Fico tenso…
Um plano dessa magnitude não pode ser realizado por gente pequena. Gente concentrada nas picuinhas. Gente contaminada por ideologias. Um plano como esse exige grandes homens e mulheres. Grandes demonstrações de generosidade. Fui dormir feliz com o plano, mas apreensivo.
Pois bem… Tudo que escrevi acima aconteceu em 1997, quando lancei em Brasília o projeto “Lampião – Uma Viagem pelo Cangaço”. O trecho que mencionei faz parte de um documento oficial do Planalto, que você encontra em
www.planalto.gov.br. O Vice Presidente era Marco Maciel e o plano que nos foi apresentado era o “Brasil em Ação”, que agrupava 42 ações: 16 na área social e 26 na área de infra-estrutura. Muito do que estava no plano foi feito, mas no caminho teve reeleição, crise asiática e russa, desvalorização da moeda e mais um monte de problemas. E o plano simplesmente desapareceu. Ou foi esquecido.
Dez anos se passaram. E agora é a vez do PAC – Plano de Aceleração do Crescimento. Tô com uma sensação de “já vi esse filme”… E medo de que a discussão fique restrita ao conteúdo, enquanto continuamos sem capacidade de execução.
Tomara que a história não se repita em ciclos.