Artigos Café Brasil
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

687 – A herança maldita
687 – A herança maldita
Uma apresentação, com números, do descompromisso, a ...

Ver mais

686 – O Meu Everest
686 – O Meu Everest
Em 2001 eu fiz talvez a maior viagem da minha vida. ...

Ver mais

685 – Entrevista no Ranking dos Políticos
685 – Entrevista no Ranking dos Políticos
O Ranking dos Políticos é uma iniciativa civil para ...

Ver mais

684 – Susceptibilidade à negatividade
684 – Susceptibilidade à negatividade
Você está na boa, trabalhando ou fazendo suas coisas, ...

Ver mais

LíderCast 174 – Eduardo Albano
LíderCast 174 – Eduardo Albano
Diretor de conteúdo da Ubook, plataforma que está ...

Ver mais

LíderCast 173 – Henrique Prata
LíderCast 173 – Henrique Prata
O homem que fundou o Hospital do Câncer de Barretos, ...

Ver mais

LíderCast 172 – Paulo Vieira
LíderCast 172 – Paulo Vieira
Paulo Vieira está à frente da Next Academy, maior ...

Ver mais

LíderCast 171 – Fabiana Salles
LíderCast 171 – Fabiana Salles
Uma empreendedora que, a partir da criação de um ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Sem enredo
Chiquinho Rodrigues
Ainda bem que o U2 pegou um avião e foi pra puta-que-pariu! Eu já não aguentava mais, cara! Te juro que se eu visse o Bono Vox mais uma vez no Jornal Nacional ou na droga de um palanque qualquer ...

Ver mais

O melhor lugar da vida pra você usar a criatividade é na própria vida
Henrique Szklo
Muito se fala sobre a criatividade, mas a maioria não sabe exatamente para que serve, como utilizá-la, em que momento nem seu significado mais profundo. O número excepcional de atividades que ...

Ver mais

Nosso Pearl Harbor
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Quando o Japão atacou os Estados Unidos, em 1941, destruindo a base aeronaval de Pearl Harbor, o então presidente Franklin D. Roosevelt discursou no congresso, externando toda a sua revolta pelo ...

Ver mais

Destaques da Aula 5 do Curso on-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
Lembremos que o objetivo dessa série é chamar atenção para o conteúdo do Curso On-line de Filosofia, que pode ser acessado na página do Seminário de Filosofia. Os principais destaques da aula de ...

Ver mais

Cafezinho 221 – Desemprego Qualificado
Cafezinho 221 – Desemprego Qualificado
A escassez de talentos está se transformando em ...

Ver mais

Cafezinho 220 – Mulheres gostosas fazem sexo e morrem no Everest
Cafezinho 220 – Mulheres gostosas fazem sexo e morrem no Everest
Assim como dinheiro atrai dinheiro, popularidade atrai ...

Ver mais

Cafezinho 219 – Brasil recusado na OCDE
Cafezinho 219 – Brasil recusado na OCDE
Para essa gente, o Brasil não pode dar certo.

Ver mais

Cafezinho 218 – Ignorância Pluralística
Cafezinho 218 – Ignorância Pluralística
Colocando em você o medo de ser apontado como o único ...

Ver mais

O valor da liberdade

O valor da liberdade

Luciano Pires -

Cena 1: no calor infernal de São Paulo, pifa o ar condicionado de meu carro. Sim, sou coxinha, elite branca, burguês que anda de carro com ar condicionado. Na oficina especializada pergunto quanto tempo leva para arrumar. A resposta, com uma imensa má vontade:

– Ah… um dia e meio só para achar o vazamento. E depois tem que arrumar. É difícil, tem carro que eu nem pego. Tem que deixar aí.

Levo noutro lugar:

– Xi… deve ser a rebimboca da parafuseta. Tem que trocar, o carro fica na oficina três dias, tem que arrancar o painel inteiro. Só de peça dá uns 2,5 mil.

Dei uma carga de gás e fui embora. Com o vazamento.

Cena 2: procuro um serviço de funilaria. Algum ogro abriu a porta do carro e bateu no meu para-lama traseiro, fazendo um dente. Um rápido exame e o comentário, com jeito cansado:

– Sei não, viu?  É chapa dupla, dá um trabalhão, tem que deixar aí para ver…

Tocodente.

Cena 3: em Porto Velho, vou palestrar no grande Teatro Municipal e descubro que nenhuma das exigências técnicas fora atendida. Não tinha o cabo para o laptop, a sala de projeção ficava no fim do mundo… Um horror. Vem o Andrei, responsável pelos equipamentos do teatro:

– Fique calmo que vamos dar um jeito!

E ele praticamente desmonta a estrutura de projeção, até conseguir ajeitar tudo de acordo. Fiquei pasmo. Raríssimas vezes encontrei gente com aquela disposição para fazer acontecer!

Cena 4: Enquanto o Andrei se desdobrava para desmontar o projetor, puxar cabos, etc, chega um sujeito da área de TI da prefeitura, mandado ao local para dar uma assistência. Chega de cara feia, má vontade, perguntando o que tinha pra fazer. Quando digo que estamos verificando, a resposta seca:

– Tem que ver aí, porque meu turno termina em 15 minutos.

Dispensei o sujeito.

Quatro situações nas quais eu tinha um problema para resolver. Em três delas, proficionais (sim! “profissionais” são outra coisa) deram a impressão de superestimar o problema (provavelmente para depois cobrar caro), chutaram prazos irreais ou deixaram claro que estavam ali a contragosto, de má vontade. O único que diante do problema optou por enxergar soluções sem pedir nada em troca, foi o Andrei. Com um baita sorriso no rosto.

E então, enquanto eu aguardava o momento da palestra, um sujeito me conta que coordena um grupo de presidiários que tem licença especial do juiz para trabalhar durante o dia, retornando para dormir no presídio. O Andrei é um deles, cumprindo pena por envolvimento com drogas.

Os três proficionais com emprego fixo, livres para ir e vir, demonstraram nenhum compromisso com a resolução de meus problemas. O presidiário não mediu esforços, não poupou energia e simpatia, assumiu a responsabilidade e deu um jeito de encontrar uma solução.

O natural não seria esperar o contrário?

Mandei um livro de presente para o Andrei. Imaginar que ele está lendo durante a noite, numa cela da prisão lá em Porto Velho, me causa certa angústia e uma certeza.

Só quem perde a liberdade sabe o valor que ela tem.