Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

Que curso fazer?

Que curso fazer?

Luciano Pires -

Com alguma regularidade sou perguntado por jovens e seus pais sobre que curso fazer, que escola buscar, que carreira abraçar. As pessoas me vêem palestrar e acham que minha experiência pode ajudar de alguma forma. É sempre uma responsabilidade imensa, pois naquele momento posso estar influenciando as escolhas e o futuro das pessoas. Dá medo.

A maioria absoluta quer cursar publicidade e propaganda, talvez pelo “glamour” que o estereótipo do publicitário criativo, rico e poderoso tem no imaginário dos jovens, não é?

Respondo: se você tem condições, busque a melhor escola disponível, mesmo que custe mais caro, que exija mais, que seja mais complicada. Ah, mas toda escola é igual! Não é. Nem dentro nem fora da sala de aula. Na escola você começa a construir os relacionamentos que serão úteis no futuro em termos profissionais e quanto melhor a escola, mais chance de construir amizades profissionalmente importantes. Mas por questões de grana, tempo e disponibilidade física nem sempre é possível ter acesso à melhor escola. Nesse caso, estude na disponível, mas seja o melhor aluno da escola! Apareça dentro e fora de sala de aula, isso coloca você acima da mediocridade e ajuda a sair atrás de uma bolsa de estudos para uma pós numa escola mais representativa, por exemplo.

Publicidade e propaganda é um ramo complicado, especialmente para os jovens que estão no interior do Brasil. Mercado pequeno, paga pouco, é um problema. E fazer escolhas de carreira aos 18 anos de idade é outro problema. Falta experiência, maturidade e visão de mundo.

Eu então sugiro um plano estratégico de longo prazo: cursaria Administração de Empresas e em seguida partiria para uma pós graduação em publicidade e propaganda. Dessa forma eu teria um diploma que permite atuar em qualquer frente, com um mercado amplo à disposição e não apenas na limitada área de publicidade e propaganda. Mesmo que a princípio eu não conseguisse trabalhar com o que amo, com o tempo estaria mais estabilizado, mais maduro e poderia fazer um plano para me encaminhar para a área desejada, com uma pós graduação.

Mas levei uns 20 anos para chegar a essa conclusão, viu? E só depois de experimentar as dificuldades de ser um bicho-marketing dentro de uma empresa de engenheiros, economistas e administradores. Sempre fui visto como um estranho por não “falar a língua deles”, o que dificultou o desenvolvimento de minha carreira. Sempre me senti o mocinho no meio dos índios. Tivesse eu um diploma de administrador de empresas e a coisa mudaria de figura… Eu “seria um deles”, falaria o idioma deles, usaria os argumentos deles e exporia minhas idéias de forma que eles compreendessem, afinal eram eles os donos do dinheiro. Eu falaria a língua dos índios, sacou?

E essa estratégia não vale só para publicidade e propaganda, mas para diversas outras áreas.

Mas esse é um pensamento de longo prazo, difícil de ser engolido pela ansiedade da juventude que deve achar horrível estudar numa área fora de seu amado objetivo imediato.

Olha, se eu pudesse voltar no tempo faria exatamente assim.

Mas esse sou eu.

Luciano Pires