Artigos Café Brasil
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

674 – Balde de Caranguejos
674 – Balde de Caranguejos
O termo “mentalidade de caranguejo” é utilizado em ...

Ver mais

673 – LíderCast 12
673 – LíderCast 12
Mais uma temporada do LíderCast, agora é a 12. Mais um ...

Ver mais

672 – A mão invisível do mercado
672 – A mão invisível do mercado
Você certamente já ouviu falar de livre mercado, aquele ...

Ver mais

Café Brasil 671 – Antifrágil
Café Brasil 671 – Antifrágil
Um dos livros sumarizados no Café Brasil Premium foi o ...

Ver mais

LíderCast 161 – Murilo Gun
LíderCast 161 – Murilo Gun
Criador, inovador, pensador, provocador. Uma figura ...

Ver mais

LíderCast 160 – Parker Treacy
LíderCast 160 – Parker Treacy
Norte americano do setor automotivo ­financeiro, ...

Ver mais

LíderCast 159 – Paulo Ganime
LíderCast 159 – Paulo Ganime
Jovem deputado federal pelo partido Novo, engenheiro e ...

Ver mais

LíderCast 158 – Georgios Frangulis
LíderCast 158 – Georgios Frangulis
Fundador e CEO da Oakberry Açaí Bows, que está ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumos das aulas do COF e temas diversos
Eduardo Ferrari
Resumos de aulas do COF
Bom dia, Boa Tarde, Boa noite! Vida longa ao Café Brasil e à Confraria! Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao Luciano Pires pelo espaço e a oportunidade de publicar alguns dos meus resumos. ...

Ver mais

Não se sai do campo de concentração de ônibus com ar condicionado….
Carlos Nepomuceno
LIVE COMPLETA.

Ver mais

Velhos amigos
Chiquinho Rodrigues
Como é que pôde um simples pedaço de pau, preso em seis cordas, mexer tanto  com a vida de uma pessoa?

Ver mais

A análise do discurso histórico do Paulo Guedes na XP
Carlos Nepomuceno
LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157462927933631

Ver mais

Cafezinho 194 – O banco
Cafezinho 194 – O banco
E aquele monte de dinheiro à minha disposição? Esqueça. ...

Ver mais

Cafezinho 193 – A zona do equilíbrio
Cafezinho 193 – A zona do equilíbrio
Quer saber? Antes de ser do meretrício, as zonas eram ...

Ver mais

Cafezinho 192 – A arte de comer picanha
Cafezinho 192 – A arte de comer picanha
Antes de dizer “não comi e não gostei” ou “não leio ...

Ver mais

Cafezinho 191 – Cuidado
Cafezinho 191 – Cuidado
Tanto o ingênuo quanto o estúpido são ingênuos e ...

Ver mais

Rolezinhos, raciocínio e fé

Rolezinhos, raciocínio e fé

Luciano Pires -

Quando criança em Bauru, eu ia religiosamente às missas dominicais, participava das procissões e de eventos organizados pela paróquia, seguindo as orientações de minha mãe. Mas cresci, e aos 18 anos deixei de ser católico praticante e passei a ser crítico silencioso daquele universo religioso. As parábolas me pareciam infantis, os conceitos eram fantasiosos, o pedido para acreditar sem comprovar me parecia falho. Deixei de lado a prática religiosa e segui minha vida, mantendo a certeza de que os valores cristãos que fizeram parte de minha infância e juventude foram e são fundamentais. Não pratico os mitos e ritos, mas os respeito e nada tenho contra quem pratica.

Aí aconteceu uma coisa engraçada. Conheci padres, pastores e monges, alguns deles brilhantes, com cultura privilegiada, capazes de uma compreensão profunda sobre o ser humano e a sociedade. E eu olhava aquelas pessoas e pensava: “Como é que um cara tão estudado, tão inteligente, tão culto, acredita nessas coisas de religião e fé?”. Eu seguia Carlos Drummond de Andrade que dizia que “A fé dispensa o raciocínio”. Aquilo me incomodava, e um dia questionei um clérigo. A resposta foi instigante:

– Luciano, não acredito nessas coisas “apesar” de ter estudo. Acredito justamente “por ter” estudo.

Era demais para minha mente pragmática, mas aquela resposta me deixou em dúvida e com uma certeza: talvez eu chegue à prática religiosa quando – e se – alcançar um patamar de consciência capaz de compreender as coisas que transcendem a realidade. Quando eu for capaz de valorizar o universo espiritual em minha vida. Talvez.
Trago esta reflexão na esteira dos rolezinhos, aquelas reuniões de centenas ou milhares de jovens da periferia que combinam pela internet de se encontrar num Shopping Center também da periferia para “dar um rolê”. Os jovens que vão aos shoppings são os mesmos que sempre frequentaram aqueles locais, vizinhos do segurança, da vendedora, do atendente da lanchonete, da bilheteira do cinema, da dona Maria da limpeza e de quem está circulando por lá. O que extrapola é a dimensão do “rolezinho”. Centenas, milhares de jovens mobilizados em conjunto dentro de um ambiente são uma panela de pressão. Como uma torcida organizada, para um “rolezinho” descambar em correria, roubos e pancadaria, só é necessário um idiota, esteja do lado que estiver. Daí a necessidade de precauções. E também tenho a sensação de que esse movimento possa ser ferramenta de certos grupos aí…

Quando manifestei minha opinião, recebi as críticas costumeiras dos que veem no “rolezinho” uma luta de classes, elites tentando impedir que os pobres frequentem os shoppings, racismo e aquelas bobagens de sempre. Mas uma crítica foi especial. A pessoa dizia não entender como é que eu, um sujeito “lido e estudado” podia ter uma opinião tão errada a respeito de um assunto.

Lembrei do padre lá.

Não tenho “opiniões erradas” apesar de ter lido e estudado. As tenho exatamente por ter lido e estudado. Cheguei a elas depois de pesquisar, ler, refletir e tirar minhas conclusões. Leu bem? Minhas conclusões. Minhas. O “errado” para ele é o correto para mim.

Mas será que não posso estar errado? Claro que sim! Entretanto, acredito estar muito mais perto da verdade do que os que veem os “rolezinhos” como uma questão de fé.

Esses manipulam. Ou não raciocinam.

Luciano Pires