Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

Vaga-Lumes

Vaga-Lumes

Luciano Pires -


VAGA-LUMES



Recebi muitas respostas ao texto que escrevi quando completei meus quarenta e nove anos este ano. Uma delas fez com que eu visualizasse a cena. Quem escreveu foi Ledy Buttendorf: “Você não é diferente da gente. Já completei cinqüenta e posso adiantar que não dói. Sou avó e a Júlia é uma graça. Sexta-feira, 9,30h da manhã ela chegou ao meu escritório de advogada, dia lindo, sol iluminando tudo, não deu outra: fomos pra praia brincar, pulamos amarelinha riscada com graveto na areia dura, fizemos castelo, corremos, rimos e molhamos o pé na água fria. O trabalho teve que esperar pra hoje, mas ganhei o dia. Essa é a diferença: aos cinqüenta a gente é capaz de fazer escolhas especiais…”.


Pouco tempo antes, eu tinha recebido uma outra reflexão de um amigo, que escreveu assim: “Ontem ouvi uma expressão curiosa em um programa esportivo citando que o apelido de um determinado jogador é vaga-lume, pois às vezes brilha e em outras ocasiões fica apagado.
Realmente, as exigências do meio que nos cerca são grandes e, na maior parte do tempo, temos que brilhar. Acho que o importante não é ter um brilho forte por pouco tempo, mas sim fornecer luminosidade, ainda que mais branda, porém duradoura. São pequenas realizações que não se apagam e ficam na lembrança. Cito um exemplo: semana passada tinha umas 4 horas disponíveis no sábado e resolvi compartilhar com pessoas. Assim sendo, de improviso, convidei minha filha maior e de contra peso o pequeno Mateus, filho de nossa empregada, para pescar na represa.   Comprei caniços, linha, anzóis e iscas e fomos lá pra beira do lago onde ficamos conversando  por pelo menos duas horas e não pegamos nada de peixe apesar das inúmeras tentativas. Na volta parei em uma lanchonete como fazia nos velhos tempos e fomos felizes para casa. De repente vejo o valor daquele evento tanto para um bom papo com minha filha quanto à alegria do Mateus de sair um pouco da rotina e pescar pela primeira vez. O que mais marcou aquele frio dia foi o brilho de alegria nos olhos de meus dois valiosos companheiros. Provavelmente era o reflexo das poucas horas de vaga-lume que representei para eles. Preciso praticar mais vezes”.
 


A Ledy e meu amigo fizeram papel de vaga-lumes. Aquele garoto certamente levará pela vida toda a lembrança de sua primeira pescaria. E a neta da Ledy jamais se esquecerá dos castelos feitos na areia.


Quanto vale isso?


Pois pensei em escrever este artigo como um singelo presente de Natal. Mas depois concluí que um presente melhor seria lançar uma questão…


Tá sentado? Tá sentada?


Então tó:



– Você tem sido o vaga-lume de alguém? 


Boas Festas.