Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
Neste cenário onde até “bom dia” leva patada, o que é ...

Ver mais

647 – Father Hunger
647 – Father Hunger
Quanta gente perdida e desorientada, quanta carência, ...

Ver mais

646 – Harry Nilsson
646 – Harry Nilsson
Mais um daqueles especiais musicais que você gosta ...

Ver mais

645 – O Brasil e a demanda por dar certo
645 – O Brasil e a demanda por dar certo
Estamos em período de mudanças ou apenas nos preparando ...

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
Empreendedor, sócio da Pronto Light, outro típico ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O que move o ser humano é o desejo de não se mover um dia
Henrique Szklo
Tudo o que o homem criou e que deu certo desde o tempo em que vivíamos em cima das árvores, ou seja, desde os primórdios de nossa existência, está relacionado ao desejo de conquistar mais ...

Ver mais

Biografias para começar bem o ano
Mauro Segura
Transformação
Período de férias é sempre bom para ler livros. Aqui você encontra dezenas de recomendações de livros de biografias que foram referendados pelos usuários do LinkedIn.

Ver mais

O Trivium – Capítulo 1
Alexandre Gomes
Lembra do que foi dito no primeiro texto sobre as sete Artes Liberais? Pois bem, a Irmã Miriam Joseph expõe da maneira dela, e isso pode ajudar a entender o que foi dito antes. Bom, primeiro as ...

Ver mais

Da cor do racismo ESPANHOL
Jota Fagner
Origens do Brasil
Compartilho com vocês o depoimento de uma amiga, conterrânea, que foi discriminada ao tentar entrar na Espanha. A metodologia aplicada  para decidir quem pode e quem não pode entrar  parece de um ...

Ver mais

Cafezinho 142 – Renan Não
Cafezinho 142 – Renan Não
Eu não sei o que você está fazendo aí, cara, mas eu ...

Ver mais

Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Como cães de Pavlov, estamos condicionados a babar.

Ver mais

Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Não enxergar o que Temer fez de bom foi uma escolha à ...

Ver mais

Cafezinho 139 – O que não se vê
Cafezinho 139 – O que não se vê
Se o IVA passar pelo Inferno de Dante do Congresso, ...

Ver mais

A eterna falta de tempo

A eterna falta de tempo

Jota Fagner - Origens do Brasil -

Enquanto voltava para casa carregando alguns livros que acabara de comprar, encontrei uma senhorinha muito simpática que costumava trabalhar numa banca de jornal aqui perto. Havia sido demitida por irresponsabilidade e agora passava os dias perambulando. Ela me cumprimentou, perguntou de minha família, viu os livros em minhas mãos e perguntou se eu “estava na livraria?”.

“Quase isso”, respondi orgulhoso. “Estou voltando da feira de livros da USP. Aproveitei a oportunidade para comprar algumas edições que eu vinha namorando”.

Ela me olhou com um jeito professoral e soltou a ladainha de sempre: “Ler é muito bom. Eu gostaria de ter tempo”.

Meu sangue ferveu, mas se tratava de uma senhora. Contei mentalmente até dez, respirei fundo e segui mudando de assunto. Falei de como estava quente, “esse verão promete, né?” Ela anuiu e o papo continuou assim até que cada um seguisse caminhos diferentes.

Não foi a primeira vez que ouvi aquela desculpa. Na verdade, ela é muito constante. Invariavelmente essa é o argumento daqueles que têm vergonha de admitir que não gostam de ler. O hábito de leitura precisa ser cultivado. O ideal é que se comece com leituras mais leves. Livros infantis e histórias em quadrinhos podem ajudar. Aos poucos o nível de dificuldade deve ser aumentado. A cada nova etapa o leitor desenvolve novas habilidades. E esse é um processo que demora anos. Não se torna um amante da leitura da noite para o dia, porque ler não é algo natural.

O problema é que virou senso comum falar sobre os benefícios da leitura. Todo mundo ouve dizer que quem lê mais desenvolve melhor sua inteligência, torna-se mais culto, atinge outros níveis de compreensão da vida e não sei mais o quê. Sendo assim, ninguém quer admitir publicamente que não gosta. A solução encontrada é apelar para a falta de tempo.

Tenho amigos que são muito fãs de histórias em quadrinhos, mas nunca saíram desse nível. Continuam colecionando edições encadernadas de histórias de super-heróis, mas não conseguem terminar um livro sequer. A desculpa? A velha falta de tempo.

Conheço outros que estão, todos os finais de semana, enchendo a cara em mesas de bar. Passam, em média, entre seis e oito horas bebendo. Gostariam muito de ler, mas a falta de tempo não permite. Alguns outros são adeptos das maratonas de séries e filmes. Passam entre oito e 12 horas a cada nova maratona. Sonham em ter um pouco mais de tempo para a leitura.

A falta de tempo parece ser o problema dos brasileiros. Difícil é admitir que a leitura não está entre as prioridades. O investimento para se tornar um bom leitor é muito grande. Livros são caros, muitas vezes difíceis de conseguir. O tempo despendido para se tornar um bom leitor pode ser aproveitado com atividades que trarão prazeres mais imediatos. A leitura só dá retornos no longo prazo. Talvez seja esse tempo que as pessoas não tenham, ou melhor dizendo, não estão dispostas a investir.

Dificilmente um leitor sem muita experiência tirará proveito de um livro do Guimarães Rosa ou do Euclides da Cunha. Seria mais fácil começar com Paulo Coelho, Augusto Cury ou Harry Potter – sem demérito algum. Mas é preciso ir subindo os degraus gradativamente, ou corre-se o risco de nunca atingir sua capacidade total.

O problema com esse argumento da falta de tempo é que ele pressupõe que aqueles que leem não fazem outra coisa da vida. Admito que, como jornalista e professor, estou muito mais próximo das letras do que a maioria das pessoas. Mas também tenho minhas atividades e obrigações. Posso passar semanas ou meses sem terminar um único livro caso eu descuide da disciplina diária. Mas esse hábito, por ser um dos mais antigos que desenvolvi, tornou-se uma necessidade.

Vinte minutos de leitura antes de dormir já me dão certo consolo. Mas esse sou eu. Pessoas diferentes têm diferentes prioridades. Mas não venham me dizer que é falta de tempo. Isso é o mesmo que me chamar de vagabundo.

J. Fagner

Ver Todos os artigos de Jota Fagner