Iscas Intelectuais
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

642 – A caverna de todos nós
642 – A caverna de todos nós
Olhe em volta, quanta gente precisando de ajuda, quanta ...

Ver mais

641 – O delito de ser livre
641 – O delito de ser livre
Na ofensiva contra a liberdade, fica cada vez mais ...

Ver mais

640 – O monumento à incompetência
640 – O monumento à incompetência
É muito fácil e confortável examinar o passado com os ...

Ver mais

639 – Chega de falar de política
639 – Chega de falar de política
Diversos ouvintes mandam mensagens pedindo para que eu ...

Ver mais

LíderCast 135 – Thalis Antunes
LíderCast 135 – Thalis Antunes
Gestor de Conteúdo da Campus Party, que tinha tudo para ...

Ver mais

LíderCast 134 – Diego Porto Perez
LíderCast 134 – Diego Porto Perez
O elétrico Secretário de Esportes do Governo de ...

Ver mais

LíderCast 133 – Dennis Campos e Cláudio Alves
LíderCast 133 – Dennis Campos e Cláudio Alves
Empreendedores que criam no grande ABC uma agência de ...

Ver mais

LíderCast 132 – Alessandro Loiola
LíderCast 132 – Alessandro Loiola
Médico, escritor, um intelectual inquieto, capaz de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O Trivium – uma introdução
Alexandre Gomes
As Sete Artes Liberais era a forma que os jovens eram preparados desde a Antiguidade até a alta Idade Média para educação superior. E a introdução nas Sete Artes era pelo Trivium, um método que ...

Ver mais

Live de terça – a liderança liberal
Carlos Nepomuceno
Live de terçaA liderança liberalTENHA VISÃO MAIS SOFISTICADA SOBRE O NOVO SÉCULO!TURMA PERMANENTE, COMECE HOJE!"O curso me ajudou a pensar o digital como meio e não fim". – JEAN ...

Ver mais

A Tribo da Política – ou a Democracia das Identidades
Alessandro Loiola
Talvez nunca antes na história desses país os recorrentes embates na Internet tenham mostrado de modo tão claro nossa admirável habilidade de nos submetermos à polarização político-ideológica. ...

Ver mais

Coerência, essa cachorra
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Coerência é o nome do bichinho de estimação da lulada, a seita que virou torcida de presídio. Coerência é muito maltratada; não dão atenção a ela, nem a alimentam. Ao contrário, é sempre ...

Ver mais

Cafezinho 132 – Os cagonautas
Cafezinho 132 – Os cagonautas
Seu chefe é um cagonauta? Hummmm...tome cuidado, viu?

Ver mais

Cafezinho 131 – Compartilhe!
Cafezinho 131 – Compartilhe!
Seja a mídia que você quer ver no mundo

Ver mais

Cafezinho 130 – Juniorização
Cafezinho 130 – Juniorização
Está dada vez mais difícil falar com o Presidente, o ...

Ver mais

Cafezinho 129 – Minority Report Tropical
Cafezinho 129 – Minority Report Tropical
O Brasil se transformou na República do Futuro do Subjuntivo.

Ver mais

Moralidade e Capitalismo 3: A Dignidade

Moralidade e Capitalismo 3: A Dignidade

Alessandro Loiola -

Com base nas evidências acumuladas até aqui – e especialmente após o colapso do comunismo soviético -, é impossível negar que o capitalismo seja o sistema econômico mais eficiente e produtivo de todos. Na mesma medida, também é complicado afirmar ele seja absolutamente Bom e Correto do ponto de vista Moral.

Após séculos de quilometragem, o sistema não demonstrou um respeito indubitável aos vínculos com e entre pessoas competentes e trabalhadoras: o sucesso e as recompensas podem abençoar a esperteza daqueles que aproveitam pequenas falhas na estrutura e lançam mão de suas conexões políticas. Como liberdade de mercado nem sempre tem a ver com meritocracia por produtividade ou pela raridade do seu bem ou serviço em um contexto de livre comércio – e pode muito bem valer-se lucrativamente da corrupção e do tráfico de influências -, que dignidade peculiar habita no capitalismo?

Com os pés fincados neste temor, um número considerável de pessoas defende uma “economia mista” ou uma “economia democrática” por considerar o capitalismo inerentemente indigno. Não podemos simplesmente culpá-las de ignorância: boa parte dessa desconfiança decorre das defesas que antigos capitalistas fizeram do sistema, louvando o lucro como um novo deus.

A característica mais importante do capitalismotalvez não seja sua eficiência econômica ou seu dramático sucesso em produzir riquezas, mas o fato dele ser consistente com um princípio Moral fundamental da própria vida: o respeito à dignidade de cada pessoa, seus direitos,seus valores individuais e suas responsabilidades.

As culturas agrícolas pré-industriais em geral apresentavam valores tradicionais relacionados à sobrevivência de curto e médio prazo: a vida no campo é dura e imprevisível, então você deve cumprir com suas obrigações, contar com a ajuda de sua família e orar pela proteção de deus. Contudo, à medida que a industrialização avançou e as pessoas saíram do campo e entraram nas fábricas, as posses aumentaram e os juízos mudaram. Quando o dinheiro passou a fazer parte da rotina, as convicções religiosas perderam espaço para valores mais práticos – as pessoas passaram a desejar mais dinheiro não apenas por garantia, mas pelo prestígio social que ele é capaz de comprar. É neste estágio que o capitalismo assume um espectro imoral, especialmente entre artistas e intelectuais. Ele parece explorar os trabalhadores, que por sua vez perseguem cegamente bens de consumo, fechando o ciclo de sua própria agiotagem.

Não obstante, se tivermos paciência para aguardar algumas poucas gerações, chegaremos ao próximo degrau: a transição da sociedade de trabalho de manufatura para uma sociedade mais focada na prestação de serviços que exigem habilidades diferentes daquelas do chão da fábrica.

Com a fartura e o aumento dos mecanismos de proteção da autodeterminação, com a redução da incidência de doenças evitáveis, da fome desnecessária, da vulnerabilidade às forças da natureza e da brutalidade política, o crescimento da segurança produz um efeito em cascata, modificando os valores pessoais com priorização da liberdade sobre a sujeição, da autonomia sobre a autoridade, da diversidade sobre a uniformidade, e da criatividade acima da disciplina.

Como consequência, a geração que crescer com esta mente aberta terá mais apreço pelos direitos das mulheres, dos gays, dos animais, de seus semelhantes e do meio ambiente como um todo. Em comparação aos seus pais, terão expectativas bem mais construtivas e conscienciosas com relação à vida – e tudo terá começado com uma semente de dignidade chamada capitalismo e seus campos férteis de plantio: o livre mercado.

Ver Todos os artigos de Alessandro Loiola