Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
Neste cenário onde até “bom dia” leva patada, o que é ...

Ver mais

647 – Father Hunger
647 – Father Hunger
Quanta gente perdida e desorientada, quanta carência, ...

Ver mais

646 – Harry Nilsson
646 – Harry Nilsson
Mais um daqueles especiais musicais que você gosta ...

Ver mais

645 – O Brasil e a demanda por dar certo
645 – O Brasil e a demanda por dar certo
Estamos em período de mudanças ou apenas nos preparando ...

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
Empreendedor, sócio da Pronto Light, outro típico ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O que move o ser humano é o desejo de não se mover um dia
Henrique Szklo
Tudo o que o homem criou e que deu certo desde o tempo em que vivíamos em cima das árvores, ou seja, desde os primórdios de nossa existência, está relacionado ao desejo de conquistar mais ...

Ver mais

Biografias para começar bem o ano
Mauro Segura
Transformação
Período de férias é sempre bom para ler livros. Aqui você encontra dezenas de recomendações de livros de biografias que foram referendados pelos usuários do LinkedIn.

Ver mais

O Trivium – Capítulo 1
Alexandre Gomes
Lembra do que foi dito no primeiro texto sobre as sete Artes Liberais? Pois bem, a Irmã Miriam Joseph expõe da maneira dela, e isso pode ajudar a entender o que foi dito antes. Bom, primeiro as ...

Ver mais

Da cor do racismo ESPANHOL
Jota Fagner
Origens do Brasil
Compartilho com vocês o depoimento de uma amiga, conterrânea, que foi discriminada ao tentar entrar na Espanha. A metodologia aplicada  para decidir quem pode e quem não pode entrar  parece de um ...

Ver mais

Cafezinho 142 – Renan Não
Cafezinho 142 – Renan Não
Eu não sei o que você está fazendo aí, cara, mas eu ...

Ver mais

Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Como cães de Pavlov, estamos condicionados a babar.

Ver mais

Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Não enxergar o que Temer fez de bom foi uma escolha à ...

Ver mais

Cafezinho 139 – O que não se vê
Cafezinho 139 – O que não se vê
Se o IVA passar pelo Inferno de Dante do Congresso, ...

Ver mais

Moralidade e Capitalismo 6: A Dispersão do Poder

Moralidade e Capitalismo 6: A Dispersão do Poder

Alessandro Loiola -
Os defensores do capitalismo que utilizam esta linha de argumentação afirmam que, ao dispersar o controle da economia entre vários detentores de capital, o poder seria igualmente dispersado. Eles parecem esquecer que a concentração de capital também resulta na concentração de poder por meio da concentração de riqueza, que pode então se reverter em influência política, fechando um circuito defeituoso.
Aqueles que criticam a dispersão de poder do capitalismo estão enraivecidos por acreditarem que o capitalismo, congenitamente acéfalo, promove “valores sem valor”: futebol ao invés de ópera, cerveja ao invés de vinho e pornografia ao invés de arte, por exemplo. Mas não foi o capitalismo que conferiu valor a estas atividades: foi a preferência do consumidor. É ingênuo acusar o livre mercado das prioridades que os compradores estabelecem – seria como culpar os garçons nos restaurantes pelos mais de 50 milhões de obesos em nosso país.
Os pensadores de esquerda, em seus delírios coletivistas, adoram denunciar os bolsões de pobreza dentro do capitalismo como uma evidência da falha do sistema. Eles acreditam que, ao menor sinal de miséria ou dissabor, o Estado deveria intervir firmemente na economia. Para estas mentes desvairadas, o sistema ideal – regulador, centralizado e paternalista -, tem a obrigação de eliminar o risco de falências, abolir os insucessos, suprimir as desigualdades econômicas e extinguir todo sofrimento da face da Terra. Segundo esta concepção, modelo político-econômico algum jamais será bom o suficiente, o que coloca os coletivistas em uma bolha de raciocínio tão megalomaníaco quanto desconectado de qualquer noção de realidade.
Nascer em circunstâncias desafortunadas não impede uma pessoa de alcançar sucesso. Em uma matriz autêntica de livre comércio, sem um Grande Irmão concentrador de todo o poder, o principal impedimento de ascensão, descontadas incapacitações físicas ou mentais, é a falta de motivação do indivíduo – uma índole cuja responsabilidade não cabe ao capitalismo.
Perverter a natureza descentralizada do capitalismo para articular uma equidade de riquezas através de impostos e redistribuição de renda significa corromper o arranjo de recompensas no qual ele se baseia, nivelando a todos ao nível da miséria compartilhada. Se entregarmos uma ascendência exagerada aos sindicados e às autarquias, sufocaremos o espírito empreendedor, frustraremos as margens de lucros e, novamente, nivelaremos a todos pelo nível da miséria compartilhada. A dispersão de poder é crucial para a vitalidade do sistema capitalista.
Não é função do capitalismo amalgamar em si a cura de todos os problemas sociais – nenhum sistema econômico ou político é capaz de assumir honestamente tal missão -, mas ele certamente proporciona um cenário democrático favorável para o avanço da Moral, da justiça e da prosperidade.

Ver Todos os artigos de Alessandro Loiola