Iscas Intelectuais
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

691 – Os agilistas
691 – Os agilistas
Conversei com o Marcelo Szuster no LíderCast 175, um ...

Ver mais

690 – Vale quanto?
690 – Vale quanto?
Cara, você aceita pagar pelo ingresso de um show a ...

Ver mais

689 – A Missão
689 – A Missão
De quando em quando publicamos no Café Brasil a íntegra ...

Ver mais

688 – Doar órgãos é doar vida
688 – Doar órgãos é doar vida
A doação de órgãos é um ato de generosidade, é o ...

Ver mais

LíderCast 178 – Tristan Aronovich
LíderCast 178 – Tristan Aronovich
Ator, músico, escritor, diretor e produtor de cinema, ...

Ver mais

LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
CEO da Octadesk, empresa focada na gestão de ...

Ver mais

LíderCast 176 – Willians Fiori
LíderCast 176 – Willians Fiori
Professor, podcaster e profissional de marketing e ...

Ver mais

LíderCast 175 – Marcelo Szuster
LíderCast 175 – Marcelo Szuster
O cara do “Business Agility", que trata da capacidade ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O chamado da tribo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O chamado da tribo Grandes pensadores para o nosso tempo “O liberalismo é inseparável do sistema democrático como regime civil de poderes independentes, liberdades públicas, pluralismo político, ...

Ver mais

A chave de fenda
Chiquinho Rodrigues
Toninho Macedo era um daqueles músicos de fim de semana. Amava música e tocava seu cavaquinho “de brincadeira” (como ele dizia) aos sábados e domingos em uma banda de pagode ali do bairro onde ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Morfologia Sincategoremática (parte 6)
Alexandre Gomes
A MORFOLOGIA SINCATEGOREMÁTICA se refere a PALAVRAS que só tem significado quando associadas a outras PALAVRAS.   Bom, se tais palavras se referente a outras palavras, então as funções delas ...

Ver mais

Vilmoteca
Chiquinho Rodrigues
Ser músico e ter viajado por esse imenso Brasil são dádivas que agradeço todo dia ao Papai do Céu! Ter colecionado experiências e conhecido os mais variados tipos de malucos acabaram fazendo de ...

Ver mais

Cafezinho 230 – Onde começam as grandes causas
Cafezinho 230 – Onde começam as grandes causas
Você tem a força. Mas antes de colocá-la nas grandes ...

Ver mais

Cafezinho 229 – Manicômio Legal
Cafezinho 229 – Manicômio Legal
O manicômio legal no qual estamos presos.

Ver mais

Cafezinho 228 – O medo permanente
Cafezinho 228 – O medo permanente
Enquanto destruíam nosso sistema de justiça criminal ...

Ver mais

Cafezinho 227 – Paralisia por análise
Cafezinho 227 – Paralisia por análise
A falta de experiência e repertório dessa moçada ...

Ver mais

Quando eu crescer…

Quando eu crescer…

Filipe Aprigliano - Iscas do Apriga -

Você já se pegou pensando que o mundo seria bem melhor se não houvesse pessoas de determinadas características? Assassinos, enganadores, aproveitadores e todos os tipos de canalha. Enfim, pessoas que não estão em sintonia com as nossas expectativas morais.

Exercite esse pensamento considerando as ausências de virtude mais extremas e os delitos mais insignificantes. Fique a vontade e não se acanhe.  Não será difícil imaginar um mundo mais pacífico, mais seguro e mais feliz.

São assim que nascem as utopias: através de um impulso romântico, projetamos métodos para melhorar as pessoas, para controlá-las e como último recurso até mesmo para exterminá-las.

Seja como for, com métodos homeopáticos ou métodos de seleção compulsória, não passa de uma perda de tempo. E assim partimos do princípio que esse mundo deveria ser pacífico, deveria ser justo, deveria ser igualitário, deveria ser livre, deveria, deveria, deveria… Deveria ser o Paraíso!

Embora no discurso isso seja amenizado, o pensamento utópico se recusa a aceitar o mundo como ele é, se recusa a aceitar que a vida é um milagre temporário, que se esgota e se transforma em algo diferente, como tudo no universo.

O pensador utópico, em algum ponto da vida, percebe que não consegue ser feliz se os outros não colaborarem. Então inventa um plano magistral para colocar cada um cumprindo seu papel devido.

Agora existe uma abordagem diferente, aquela que simplesmente aceita as coisas como elas são. Parece simples e conformista, ou até preguiçoso e desprovido de virtude, mas muito pelo contrário, é o único caminho de paz.

Esse caminho é estritamente individual, pode até inspirar os outros pelo bom exemplo, mas é individual… A verdade é que mundo permanecerá sempre como é, equilibrado sobre a ponta de uma faca, com momentos violentos, sombrios e de aparente decadência sem retorno.

A verdade é que não existe retorno para nada e a impermanência é tão palpável como a singularidade de tudo na existência.

Existem ciclos, repetições, padrões, mas cada qual é único e especial. Sem cada elemento singular do presente, seja ele milagroso ou escatológico, todo o resto desmorona, esmaece e perde seu valor e significado.

Em algum ponto da história a humanidade amadureceu no seu conhecimento da materialidade, amadureceu no seu entendimento das mecânicas internas da mente, das sociedades e da natureza.

Curiosamente, ao invés do homem se tornar humilde diante da enorme complexidade que há em tudo que existe, tornou-se um ser arrogante e almejou uma reengenharia cósmica. Pura insanidade.

Quando eu crescer, quero aceitar o mundo como ele é, sem julgamento, sem sofrimento, lidando com cada desafio sem resistência.

Imagino que seja algo similar ao primeiro homem que comeu um coco, com fome e determinação, e que não perdeu tempo sentindo raiva da casca.

Obrigado pelo seu tempo. Quem sabe nos falamos novamente?

Ver Todos os artigos de Filipe Aprigliano