Iscas Intelectuais
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

691 – Os agilistas
691 – Os agilistas
Conversei com o Marcelo Szuster no LíderCast 175, um ...

Ver mais

690 – Vale quanto?
690 – Vale quanto?
Cara, você aceita pagar pelo ingresso de um show a ...

Ver mais

689 – A Missão
689 – A Missão
De quando em quando publicamos no Café Brasil a íntegra ...

Ver mais

688 – Doar órgãos é doar vida
688 – Doar órgãos é doar vida
A doação de órgãos é um ato de generosidade, é o ...

Ver mais

LíderCast 178 – Tristan Aronovich
LíderCast 178 – Tristan Aronovich
Ator, músico, escritor, diretor e produtor de cinema, ...

Ver mais

LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
CEO da Octadesk, empresa focada na gestão de ...

Ver mais

LíderCast 176 – Willians Fiori
LíderCast 176 – Willians Fiori
Professor, podcaster e profissional de marketing e ...

Ver mais

LíderCast 175 – Marcelo Szuster
LíderCast 175 – Marcelo Szuster
O cara do “Business Agility", que trata da capacidade ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O chamado da tribo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O chamado da tribo Grandes pensadores para o nosso tempo “O liberalismo é inseparável do sistema democrático como regime civil de poderes independentes, liberdades públicas, pluralismo político, ...

Ver mais

A chave de fenda
Chiquinho Rodrigues
Toninho Macedo era um daqueles músicos de fim de semana. Amava música e tocava seu cavaquinho “de brincadeira” (como ele dizia) aos sábados e domingos em uma banda de pagode ali do bairro onde ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Morfologia Sincategoremática (parte 6)
Alexandre Gomes
A MORFOLOGIA SINCATEGOREMÁTICA se refere a PALAVRAS que só tem significado quando associadas a outras PALAVRAS.   Bom, se tais palavras se referente a outras palavras, então as funções delas ...

Ver mais

Vilmoteca
Chiquinho Rodrigues
Ser músico e ter viajado por esse imenso Brasil são dádivas que agradeço todo dia ao Papai do Céu! Ter colecionado experiências e conhecido os mais variados tipos de malucos acabaram fazendo de ...

Ver mais

Cafezinho 230 – Onde começam as grandes causas
Cafezinho 230 – Onde começam as grandes causas
Você tem a força. Mas antes de colocá-la nas grandes ...

Ver mais

Cafezinho 229 – Manicômio Legal
Cafezinho 229 – Manicômio Legal
O manicômio legal no qual estamos presos.

Ver mais

Cafezinho 228 – O medo permanente
Cafezinho 228 – O medo permanente
Enquanto destruíam nosso sistema de justiça criminal ...

Ver mais

Cafezinho 227 – Paralisia por análise
Cafezinho 227 – Paralisia por análise
A falta de experiência e repertório dessa moçada ...

Ver mais

Yes Man

Yes Man

Filipe Aprigliano - Iscas do Apriga -

Essa noite escutei alguns podcasts atrasados no Café Brasil, a partir do “463 – Sobre sorte e Azar” mais especificamente. Enquanto escutava esse podcast me lembrei imediatamente do filme Sim Senhor (ou Yes Man, o título em inglês).

O filme conta a história de Carl Allen (Jim Carrey), um homem frustrado que dizia “não” para tudo, com uma postura própria do Hardy do desenho animado. Um dia ele se inscreve num programa de auto-ajuda baseado no princípio de dizer “sim” para tudo. Resumidamente, após muitos inconvenientes e desencontros, a vida dele é transformada porque ele se expõe a todos os tipos de oportunidades, ele quebra sua rotina de todas as formas possíveis e o “caos” se encarrega de coisas fantásticas.

Obviamente o filme é uma comédia e tudo se apresenta de uma forma exagerada e caricata, no entanto, existe uma verdade bastante profunda nessa história. Embora eu concorde que o preparo é fundamental, o maior pecado que cometemos é nos fechar às oportunidades. Pré-julgamos o valor que determinadas experiências terão e abrimos mão delas.

No ano passado eu me separei e o fim do meu casamento foi o combustível psíquico para eu tomar algumas atitudes. Eu não tinha mais que prestar contas pra ninguém, também não tenho filhos, era só fazer alguma mudança na minha vida, mas o quê?

Inspirado nesse filme eu decidi o seguinte, deixa o universo escolher pra mim, vou dizer sim pra tudo que aparecer. A partir desse momento eu comecei a fazer yoga, fiz um curso de pilotagem da Mitsubishi, aula de gaita pela internet, resgatei uma gata no estacionamento do trabalho pra fazer companhia para minha cachorra, perdi 20 quilos sem fazer dieta, comprei tantas músicas que fico perdido para escolher o que escutar (nesse momento estou escutando Helter Skelter na versão do The Dead Daisies), fiz viagens de trabalho de moto, enchi minha casa de posters, aprendi a cozinhar, arrumei uma namorada que eu não tenho palavras pra descrever de tão legal, todos os projetos bacanas que me mostraram ou enviaram para o meu e-mail pedindo ajuda eu participei e colaborei, e fui em todos os eventos sociais que me chamaram, por mais bizarros que fossem.

Se alguém me encontrava com aquele papo de vamos marcar alguma coisa, eu marcava… Se me ligava dizendo vamos encontrar um dia, eu dizia: Claro, vamos hoje… mesmo com reunião de trabalho no dia seguinte de manhã. O mais importante é que eu não planejei nada disso, só agarrei as oportunidades sem julgamento e sem expectativas.

Essa semana completou um ano disso tudo, e só posso dizer que nunca fui tão feliz na vida, nunca conheci tantas pessoas bacanas, nem aprendi tanta coisa. Eu tive tantas experiências boas que não conseguiria listar todas elas.

Recentemente, conheci o Luciano Pires pessoalmente por causa dessa mudança de postura, e agora estou aqui nas Iscas Intelectuais escrevendo essas bobices. Ele anunciou que ia lançar um livro em São Paulo, eu pensei, que ótimo… Eu tenho um carro, uma moto e eu tenho tempo, marquei o hotel no mesmo dia e fui no meio da semana. Podia ter ido de avião, mas eu queria o tempo sozinho na estrada para ouvir música e apreciar a vista.

Isso é outra coisa engraçada, quando você passa a focar no presente, o seu tempo se multiplica, magicamente parece que você tem tempo pra tudo que realmente deseja, inclusive para o ócio, para identificar estrelas com um aplicativo no iPad, ou procurar versões bizarras de músicas famosas no YouTube. Mais engraçado ainda, a última coisa que passa pela cabeça é perder tempo vendo televisão. Eu até cancelei a TV a cabo e o telefone fixo, agora só tenho internet em casa.

Eu podia ficar horas aqui falando um monte de coisas, mas tem um texto que eu li num retiro de yoga que resume perfeitamente o que eu gostaria de dizer:

“O coração puro sempre vibra em gratidão. Vê o Universo como um amigo que está sempre inspirando a evolução. O coração puro está sempre celebrando a vida e tudo aquilo que se expressa através de um ser humano, porque ele compreende que tudo é sagrado.” ~ Sri Prem Baba

Obrigado pelo seu tempo. Quem sabe nos falamos de novo?

Ver Todos os artigos de Filipe Aprigliano